Cachorro na piscina, pode? Cuidados e dicas para se divertir com o seu pet

Cachorro na piscina

Cachorro na piscina pode? Os pets em geral deixam tudo mais divertido. E essa diversão fica ainda maior quando se trata de cachorro na piscina. Afinal, quem tem os dois, quer aproveitar esse “combo” de diversão, não é? Porém, para poder ter um pet tomando um banho de piscina junto com os seus donos, é preciso ter atenção em alguns aspectos especiais:

Existem piscinas e piscinas…

Os dogs podem, sim, tomar um banho de piscina quando está calor. Porém, é preciso atentar-se para a água da piscina antes de tudo. Isso porque: tanto o animal quanto a água devem estar saudáveis para isso.

O pet deve ter tomado todas as suas vacinas/vermífugos e a água deve ter passado pelo tratamento normal. Vale lembrar que a presença do cachorro dentro da piscina não altera o tratamento da água. Assim sendo, o pH deve continuar entre 7,0 e 7,4. O nível de cloro deve se manter entre 1 a 3 ppm.

Além do equilíbrio da água e da saúde do animal, a piscina deve ser feita de um material resistente. Aquelas que são de vinil ou PVC podem ser rasgadas com as unhas do cachorro ou terem o seu material danificado – o que resultaria em vazamentos indesejados. Para evitar acidentes, recomenda-se que a piscina tenha cercas em volta, assim, os animais não entrarão nela sem a supervisão de um humano.

Outro ponto importante é que, para manter uma piscina limpa, é preciso que sejam utilizados produtos químicos. No geral, quando utilizados de forma e com a medida correta, esses produtos não resultarão em problemas para o cachorro. Porém, se você achar que a piscina não está adequada para o uso humano, jamais deixe seus animais entrarem nela.

Nossa dica sobre cloros: o mais indicado para piscinas que receberão animais são os geradores de cloro à base de hipoclorito de sódio (sal). Normalmente são considerados os mais inofensivos aos animais. Também fazem muito bem a sua função de manter a piscina com a água limpa.

Cachorro na piscina: cuidados a serem tomados com o animal

O animal nunca deve ser deixado sozinho na água. Logo após o banho, ele deve ter as suas orelhas e ouvidos secados com atenção. Isso evita possíveis infecções e demais problemas que possam surgir nessas regiões sensíveis.

Outra dica importante é dar um banho no animal com água “normal” – ou seja, sem cloro e demais produtos químicos – utilizando um shampoo especial para cachorros assim que ele sair da piscina.

Existem raças de cachorro que não são nadadores natos – os que possuem focinho achatado, ou pata mais curtas, por exemplo. Aqui, se enquadram os buldogues, pugs, pequineses, boxers, basset hound (popularmente conhecidos como “linguicinhas”), bull terrier, entre outros.

Porém, mesmo que o seu o seu cachorro seja de uma raça “nadadora nata” – como o labrador, por exemplo, – o ideal é sempre levá-lo antes ao veterinário e ouvir uma opinião profissional. Investir em um colete salva-vidas para o animal também pode oferecer mais segurança para ele e tranquilidade para o dono. Animais mais idosos também exigem maior atenção.

E você, já pulou com o cachorro na piscina? O que acha de compartilhar esse momento com o seu pet?

 

Gostou das dicas? Acompanhe nosso blog e leia mais conteúdos interessantes!

 

Fonte: tudosobrepiscina.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.