Você vai se impressionar quando souber sobre a ação do cloro na água da piscina

O cloro é o elemento químico mais usado para manter a água de piscinas e spas livre de agentes nocivos que podem eventualmente provocar males a humanos e animais ao se banharem. Estes agentes podem ser fungos, algas, bactérias, vírus e até mesmo as conhecidas larvas de mosquitos, como a do Aedes Aegypti, responsável por transmitir dengue, zika e chikungunya.

Muita gente sabe que o cloro é usado para este fim específico, mas você sabe como ele funciona quimicamente? Não queremos aqui fundir a sua cuca com informações técnicas, mas vamos tentar te mostrar da forma mais simples possível como essa coisa toda acontece.

Começamos já afirmando que agentes nocivos são os pequenos seres que proliferam ou crescem em ambiente úmido como a água. E se esta água estiver sem tratamento adequado, parada por muito tempo ou suja, estes agentes se multiplicarão muito rapidamente. Acontece que muitos destes seres podem causar problemas graves em humanos ou pets, comprometendo a saúde em curto ou longo prazo. É neste momento que você começa a perceber a importância de se tratar constantemente a água da sua piscina ou spa.

Como funciona a ação do cloro

O cloro elimina aqueles agentes nocivos por meio de uma reação química bastante simples e até conhecida por muitas pessoas. Acontece assim: a solução de cloro aplicada na água se decompõe criando vários subprodutos químicos diferentes. Destes, os que mais interessam para nós no processo de purificação são o ácido hipocloroso (HOCl) e o íon hipoclorito (ClO). Ambos eliminam totalmente fungos, algas, bactérias, vírus e larvas de insetos, atacando os lipídios nas suas paredes celulares e destruindo enzimas e estruturas dentro da célula. O processo torna estes seres oxidados e inofensivos.

Diferenças químicas na atuação

Interessante é saber também que os dois subprodutos, o ácido hipocloroso (HOCl) e o íon hipoclorito (ClO) contam com suas diferenças de atuação no processo de oxidação; e uma dessas diferenças é a velocidade de atuação. O ácido hipocloroso atua com eficácia contra os agentes nocivos em alguns segundos; já o íon hipoclorito pode levar até 30 minutos para atuar eficazmente.

Fato é que o cloro sempre irá se decompor formando, entre outros, os dois subprodutos citados há pouco. Mas o volume produzido destes subprodutos vai variar dependendo do nível do pH da água. Se o nível de pH estiver mais alto, o íon hipoclorito ocorrerá em maior volume, mas se o nível de pH estiver mais baixo, o ácido hipocloroso é que vai ocorrer em maior volume. Por isso é sempre melhor que a água da sua piscina esteja com níveis mais baixos de pH, permitindo que o efeito oxidante aconteça mais rapidamente e com a eficácia esperada.

 

Gostou das dicas? Acompanhe nossas notícias e leia mais conteúdos interessantes!

 

Fonte: autilus.ind.br (texto adaptado)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.